sábado, 14 de novembro de 2009

Como a mente compreende as mudanças climáticas?


Um guia baseado em pesquisas tenta estreitar a distância entre informação e ação.

Uma enquete recente revela: o número de americanos que acredita no fato de a atividade humana mudar o clima da Terra está diminuindo - de 47%, caiu para 36% - mesmo com dados científicos de peso que continuam crescendo rapidamente. Uma nova publicação investiga o que se passa na mente humana para causar essa contradição, e o que os comunicadores da ciência climática podem fazer a respeito disso.

O guia de 43 páginas, The Psychology of Climate Change Communication (A Psicologia da Comunicação nas Mudanças Climáticas, ainda sem tradução para o português), lançado no dia 4 de novembro pelo Centro de Pesquisas sobre Decisões Ambientais (CRED, na sigla em inglês) da Universidade de Columbia, analisa como as pessoas processam as informações e decidem agir, ou não. Usando pesquisas sobre as reações de grupos tão diferentes quanto fazendeiros africanos e eleitores conservadores dos Estados Unidos, ele oferece ideias para que cientistas, educadores, jornalistas e outros possam efetivamente se conectar com o resto do mundo.

Para os não-cientistas, o clima pode parecer ora confuso, ora opressivo e ora politicamente tendencioso, dizem as autoras Debika Shome e Sabine Marx. O guia mostra como o conhecimento científico em evolução pode ser transmitido sem enfrentar obstáculos previsíveis. Usando oito princípios básicos, ele identifica táticas que cientistas e profissionais podem utilizar para aumentar as chances de as pessoas entenderem o que eles estão dizendo e, quando apropriado, se mobilizarem. Isso inclui focar questões complexas de maneira que as pessoas possam relacionar a sua própria realidade. (Nova-iorquinos podem ser mais sensíveis à ideia de que a subida do nível do mar ameaça inundar seus metrôs, do que à ideia de que isso também afeta grande parte de Bangladesh.) As autoras dizem que cientistas e jornalistas também precisam fazer um trabalho melhor de escolha ao focar o que merece atenção ao invés de se aterem a incertezas menores - por exemplo, concentrar-se no forte consenso de que o nível do mar crescerá no século 21, em vez de confundir leitores com discordâncias sobre quanto exatamente esse nível crescerá.

“Ganhar o apoio do público para as políticas sobre mudanças climáticas e encorajar um comportamento ambientalmente responsável dependem de um entendimento claro de como as pessoas processam informação e tomam decisões”, dizem Shome e Marx. “As ciências sociais fornecem uma parte essencial deste quebra-cabeça”.

Cópias impressas gratuitas e uma versão online interativa do guia estão disponíveis no site do CRED.

Ilustração: Ian Webster (retirada da versão online do guia)

Texto original em inglês enviado por: Prof. Renzo Taddei/Universidade Federal do Rio de Janeiro e Profa. Mirna Tonus/Universidade Federal de Uberlândia

Tradução livre e adaptação: Felipe Saldanha e Paula Arantes

8 comentário(s):

Mimirabolante disse...

Fico muito preocupada com o pouco empenho dos nossos governantes....porém,não desisto das minhas ações....cada vez mais,descubro uma maneira de ajudar e de tornar a minha vida mais sustentável....bjcas....

Anônimo disse...

Bom, este fato se deve pela queda brutal na confiabilidade dos dados do IPCC da ONU!
Na verdade cada vez mais se comprova que o Carbono emitido pelas atividades humanas não é o vilão do aquecimento global, e sim a mudança normal da geologia, ainda estamos nos "afastando" da última glaciação, depois a temperatura voltará a baixar e passar por outra glaciação(vai demorar bastante...) fechando assim o ciclo!
Claro que o ser humano pode melhorar o ambiente onde vive, deixando de poluir, também faço minha parte!
As atividades humanas são responsáveis apenas por 2,3% do total de Carbono liberado para a atmosfera... insuficiente para mudar o clima! E isso é comprovado inclusive por "técnicos" do IPCC ...
A ONU já é um órgão falido a mais de uma década em termos de confiabilidade... uma pena descambarem para o lado puramente político!!

Anônimo disse...

Verdade! Eu assisti um documentário onde os cientistas verificaram que a temperatura na terra atende perfeitamente aos ciclos de manchas solares!
O carbono na atmosfera não responde perfeitamente à isso!
Tanto que a temperatura ANTES da revolução industrial chegou a ser mais alta do que é hoje!
A ONU... humpf... basta ver as atitudes dela nas guerras...
ONU FAIL!
rsrsrsrsrsrs

Anônimo disse...

Sobre o nível do mar um professor do cursinho fez conosco um cálculo bem por cima...
Derretendo todo o gelo do mundo (calculando o volume, pela área das calotas polares X a altura média), e "espalhando" a água por toda a área de oceanos do mundo, o nível não subirá nem 2cm ...
Ele falou sobre energias sustentáveis:
-Como é que querem que os africanos, por exemplo, usem energias sustentáveis, se elas são caras até mesmo para os padrões europeus? Enquanto isso exploram as riquezas africanas (minérios, petróleo, etc...)
É tudo política e MENTIRAS, mascaradas por um fenômeno NATURAL cíclico e variável...
É isso aí galera!

Anônimo disse...

O outro anônimo está repleto de razão!
Estamos saindo de uma era glacial e infelizmente não há muito o que influenciar nas transformações geológicas da Terra. O Sol está com uma atividade mais intensa. Quem vai jogar um balde de água no Sol pra evitar o aquecimento global?
Não podemos confiar em tudo o que se fala. Passou na televisão antes de ontem que o Brasil é uma das 50 nações com políticos mais honestos. Tudo bem... acredite se quiser. Esta história do aquecimento global é meio furado.
Só não posto com meu nome pra não ser queimado na inquisição pós-moderna do politicamente correto.

fernando disse...

a cada dia q passa eu me convenço mais q o mundo n quer mais saber da gente em cima dele
e nós, pretenciosos que somos, tentando prolongar as nossas vidas com a fachada de "combater o aquecimento global"

Anônimo disse...

Depois que o Al Gore falou naquele documentario de merda dele que o nivei dos mares iriam subir 7 metros eu nao acredito mas em nada que se fala sobre aquecimento global

Projeto Jogo Limpo disse...

Obrigado a todos pelos comentários!

Este deve ter sido o post que mais gerou polêmica até hoje aqui no Blog. Mesmo sendo um texto um pouco mais técnico que a maioria dos publicados aqui, muitos visitantes leram e debateram sobre o assunto. Este é o nosso objetivo: fomentar a reflexão, que por sua vez leva a novas ideias e novas ações.

Respeitamos as diferentes opiniões registradas. De fato, não há consenso nem entre os cientistas, nem entre os políticos, nem entre a sociedade em geral sobre o assunto. No entanto, a posição da maioria dos governos, ONGs e ambientalistas está convergindo no sentido de reconhecer que as consequências do Efeito Estufa são reais, sérias e -- felizmente -- contornáveis, desde que haja uma ação conjunta de todos os habitantes do planeta.

Nós, do Projeto Jogo Limpo, buscamos sempre fazer a nossa parte, ampliar a conscientização e abrir espaços para o diálogo como o Blog do Jogo Limpo. Assim, podemos aprimorar constantemente nossas ações. E contamos sempre com vocês na nossa incessante busca para descobrir, debater e agir.

Abraços,

Felipe Saldanha
Projeto Jogo Limpo