sexta-feira, 23 de maio de 2008

Ativistas querem reconhecimento de chimpanzé como 'gente'

Ativistas pelos direitos de animais em Viena, na Áustria, estão levando um caso para a Corte Européia de Direitos Humanos, em Estrasburgo, na França, pedindo o reconhecimento do chimpanzé Matthew "Hiasl" Pan como "pessoa".

Hiasl vive em um abrigo para animais em Viena que está à beira da falência, mas um benfeitor ofereceu uma doação financeira com a condição de que o chimpanzé tivesse um guardião legal que decidisse sobre o dinheiro - levando em conta os interesses do animal.

De acordo com as leis austríacas, no entanto, apenas uma pessoa tem direito de ter um guardião legal, o que levou o abrigo a entrar com um processo de reconhecimento do status do chimpanzé como pessoa em 2006.

Segundo o abrigo, Hiasl foi "seqüestrado" aos dez meses de idade em Serra Leoa por traficantes de animais que pretendiam vendê-lo a um laboratório farmacêutico na Áustria, mas foi salvo no aeroporto, junto a outros 11 chimpanzés filhotes, já que seus captores não tinham os documentos necessários para sua entrada no país.

Os ativistas alegam que Hiasl cresceu em meio a humanos e socializa com humanos. Eles também alegam que os chimpanzés dividem 99,4% dos genes humanos e fazem parte da família biológica dos "homos", que poderiam ser considerados "pessoas". Eles temem que, se o abrigo for à falência, Hiasl seja vendido ou morto, por razões econômicas. Também afirmam que querem apenas o reconhecimento dos direitos básicos de Hiasl como pessoa, e que não pretendem buscar outros direitos, como o de voto, por exemplo.

Fonte: G1 via AmbienteBrasil. Leia mais.

1 comentário(s):

v.carlos disse...

E viva a teoria da evolução =P


Espero q dê certo o reconhecimento dele como gente, assim ele não corre perigo de ser abandonado ou sofrer mals tratos.


Abração Filipe
T++