terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Nós, inquilinos da Terra

São notáveis os crescentes esforços dos mais diversos grupos, organizações e comunidades se direcionando para a causa ambiental. Relatórios científicos, reportagens, campanhas de conscientização e até mesmo novas linhas de mercadorias falam em sociedade sustentável, ou seja, mais harmônica com a natureza. O que causou esse novo comportamento?

No campo econômico, a empreitada para se tornar “verde” segue um novo padrão de valores dos consumidores. As empresas estão investindo em inovações – tais como uso inteligente da energia, manejo sustentável de matérias-primas e neutralização de carbono – para conquistar a confiança do cliente. O uso racional dos recursos naturais também pode diminuir custos, aumentando os lucros. Nesse campo, em resumo, a nova postura é geralmente fruto de uma necessidade do mercado.

E no campo sócio-político? Iniciativas individuais, de ONGs e de governos se multiplicam, buscando a conservação de biomas intactos, recuperação de ecossistemas degradados e conscientização em massa, para bloquear e reverter o processo de exploração desenfreada do ambiente. Como explicar essa mudança de mentalidades e de posturas?

A explicação se dá a partir de previsões criadas nas últimas décadas, que amadureceram e se desenvolveram a partir de estudos sobre as conseqüências da ação humana no meio ambiente e receberam a chancela da maior parte da comunidade acadêmica e da população de modo geral. Porém, ao analisá-las, o que visualizamos? Imagens da Terra sendo destruída, onde a atual geração tem o heróico papel de salvar o planeta das ameaças provocadas pela geração anterior?

Leia a continuação!

Por Felipe Saldanha, estudante e sócio-voluntário da OPA, para o Blog do Jogo Limpo
Artigo exclusivo - comemoração dos primeiros 1000 acessos

Foto: NASA

1 comentário(s):

v.carlos disse...

Ficou legal, fico feliz pelo sucesso do seu blog! =)