segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Carona solidária


No exterior, já é comum dividir o carro com companheiros de percurso. Há, inclusive, faixas exclusivas para automóveis com passageiros. Mas no Brasil, talvez por uma questão cultural, envolvendo privacidade ou medo de assalto, a carona ainda não foi disseminada. Segundo o Yahoo! Autos,

No Brasil, o incentivo dos órgãos públicos ainda se limita a disponibilizar sites que possibilitem o encontro de quem quer dar ou receber carona. Mas se depender da disposição da maioria dos brasileiros para abrir as portas do carro a estranhos, a iniciativa vai demorar um pouco para engrenar.

Atualmente, 64% dos automóveis da cidade de São Paulo andam apenas com seus motoristas, de acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego.

Redução das emissões de CO2, menos trânsito, menos doenças pulmonares, mais economia e possibilidade de fazer amigos. Se há tantas boas razões para dar carona, por que a prática ainda engatinha no Brasil?
No mesmo site existem alguns links muito úteis para quem quer aderir a projetos de carona solidária. Em outubro, o AmbienteBrasil também publicou uma reportagem sobre uma iniciativa paulistana que faz a ponte entre quem dá e quem pega carona, o e-Carona:

O engarrafamento do trânsito nas grandes cidades afeta não só a qualidade de vida de sua população, que perde um tempo precioso em seus deslocamentos, mas tem impacto direto sobre a qualidade do ar e, conseqüentemente, sobre a saúde. (...)

Para tentar reverter esse quadro, um portal de internet se propõe a ser o elo entre as pessoas dispostas a pegar ou a dar caronas – ou ambos. É o jeito inteligente de retirar carros das ruas, simplesmente fazendo com que eles sirvam a mais pessoas, ao invés de apenas ao (à) motorista, como é o habitual.

A proposta recebeu o nome de e-Carona e partiu do publicitário José Aparecido de Paulo, num dia em que ele, voltando de uma reunião na região de Pinheiros, demorou duas horas para chegar a seu destino, a avenida Paulista.

"Durante o percurso comecei a analisar os carros que, na sua grande maioria, estavam com apenas uma pessoa. Nesse momento, pensei que algo deveria ser feito para melhorar isso”, contou Cido – como é chamado – a AmbienteBrasil.

Confira outras dicas para se tornar um motorista mais sustentável lendo essas reportagens sobre o assunto:

Carros menos poluentes
Dia Mundial sem Carro

Leis de emissões serão mais severas
Pedalar para ajudar o planeta



PS: No ano passado, o Blog do Jogo Limpo reproduziu uma reportagem noticiando a viagem de Louis Palmer ao redor do mundo com seu "táxi solar", abastecido exclusivamente com energia solar e capaz de atingir a velocidade de 90 km/h. Na última sexta-feira (21), o G1 mostrou o fim da viagem: o aventureiro chegou a Hamburgo (Alemanha), atingindo o seu objetivo.

Foto: Divulgação (via Yahoo! Autos)

1 comentário(s):

Carlos Bitencourt disse...

Usem o serviço carona Solidária...

www.caronasolidaria.com